Blog

Padronização contra quedas

Padronização contra quedasEmpregados próprios e terceirizados integrados nas tarefas que envolvem riscos em altura

Zero lesão é conquista comemorada na Anglo American a partir da implantação do projeto Trabalho em Altura - Pontos de Ancoragem e Linhas de Vida, case vencedor da Categoria Trabalho em Altura no Prêmio Proteção Brasil 2016. Por meio da padronização e do monitoramento constante das práticas de segurança, a iniciativa engloba os empregados próprios e os das empresas parceiras nas operações integradas do Minas-Rio. A área de abrangência inclui desde o transporte do minério de ferro da mina e da usina de beneficiamento, em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas, em Minas Gerais, até o terminal de minério de ferro do Porto de Açu, em São João da Barra, no Rio de Janeiro, por meio de um mineroduto de 529 quilômetros.

Com sede em Londres, Reino Unido, a Anglo American atua em 40 países, com operações no Sul da África, América do Norte e do Sul e Austrália. No Brasil, está presente desde 1973.O supervisor de Segurança do Trabalho, Antônio Rocha Júnior, afirma que todas as ações de Segurança e Saúde Ocupacional da empresa no país estão pautadas nas normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e na legislação ligada ao DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral). Além das exigências legais, são aplicadas as diretrizes mundiais do Anglo American Fatal Risk, compostas por procedimentos operacionais e administrativos. "Nossa visão é alcançar zero lesão por meio de uma gestão efetiva dos riscos de SSO em todas as operações que gerenciamos. Todos os empregados devem poder voltar para suas casas em segurança e com saúde ao final de cada turno. Acreditamos que uma lesão já é demais", complementa.

Fonte: Revista Proteção 5/2017
Publicado 12/04/2017